Vendas de carros novos no País caem 30%

Preocupados com a queda de 30%, em média, nas vendas de veículos novos na última semana, grandes bancos comerciais e de montadoras, fabricantes e concessionárias de veículos decidiram voltar a irrigar o crédito para compra de carros. Além das campanhas das montadoras, as revendas em parceria com grandes bancos comerciais vão facilitar os negócios a prazo neste fim de semana. A intenção é inverter a retração nas vendas de veículos.As condições são atraentes: vão desde financiamentos sem juros até aqueles com taxa de 0,99% ao mês, um custo inferior ao cobrado no período anterior ao estouro da crise, quando a taxa mensal girava em torno de 1,40%. No início da semana passada, os encargos financeiros subiram cerca de 20%.A partir de hoje até o fim do mês, a Volkswagen e o banco da montadora, por exemplo, oferecem a todas as revendas da marca a possibilidade de financiar modelos fabricados no País em 24 vezes, com juros de 0,99% ao mês, mas com uma entrada de 50% do valor do veículo. O prazo de 60 meses está mantido, porém com uma taxa de juros superior a 0,99%. "Não queremos que o ânimo do consumidor esfrie", diz o gerente de Planejamento de Marketing da montadora, Fabrício Biondo. A GM é outra montadora que quer espantar o baixo-astral da crise de crédito. O vice-presidente da companhia no Brasil, José Carlos Pinheiro Neto, comunicou ontem em horário nobre na TV a decisão da companhia de financiar a venda com juros de 0,99% ao mês. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.