Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Vendas de carros sobem pelo 2º mês na Europa

A indústria automobilística cresceu pelo segundo mês consecutivo na Europa. Em julho, o aumento nas vendas foi de 3%, considerados os 27 países da União Europeia, e de 5% só na Europa Ocidental. Em junho, a indústria já havia apurado um incremento de 2,4% nas vendas, quando interrompeu o ciclo de 14 meses de baixa. O responsável pela virada foi o mercado da Alemanha, que, impulsionado pelo programa de incentivos fiscais, cresceu 29%.A estatística foi revelada ontem pela Federação Alemã da Indústria Automotiva (VDA), antecipando-se ao tradicional anúncio da Associação de Construtores Automotivos (Acea), com sede em Bruxelas. Em todo o bloco, foram vendidos 1,29 milhão de veículos em julho. O desempenho só não foi mais positivo porque os mercados da Europa Central e do Leste não contribuíram. Ainda em crise, a região enfrentou uma queda de 21% nas vendas. Como em junho, o melhor desempenho entre as maiores economias foi registrado pela Alemanha, graças ao programa que subsidia descontos de ? 2,5 mil aos proprietários de veículos usados que trocam por novos. Ao todo, 141,8 mil unidades foram vendidas no país.Na França, onde a subvenção é de ? 1 mil, as vendas subiram 3%. Itália, com incremento de 6% nas vendas, e Reino Unido, com 3%, também tiveram performances positivas. Apesar da retomada do otimismo, é o futuro das vendas sem os programas de incentivos que preocupa os especialistas do setor na Europa. "É inquietante para o futuro, porque vem ocorrendo uma grande antecipação de vendas em 2009. Na França, tínhamos previsto mais 200 mil veículos vendidos no ano. Mas chegaremos em cerca de 300 mil. Tenho medo pelos anos de 2010 e 2011", alerta Yann Lacroix, especialista no setor automotivo no gabinete Euler Hermès.

Andrei Netto, O Estadao de S.Paulo

15 de agosto de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.