Vendas de casas novas sobem 11% em março nos EUA

As vendas de imóveis residenciais novos nos Estados Unidos subiram 11,1% em março ante fevereiro, à taxa anual sazonalmente ajustada de 300 mil, segundo dados divulgados hoje pelo Departamento do Comércio do país. Os economistas previam que as vendas subiriam 14,8%, para uma taxa anual de 287 mil. Em comparação com março do ano passado, as vendas caíram 21,9%.

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

25 de abril de 2011 | 11h44

Os números das vendas em fevereiro foram revisados para mostrar declínio de 13,5% em relação a janeiro, para uma taxa anual ajustada sazonalmente de 270 mil, ante a estimativa anterior de 250 mil.

O preço médio de vendas para uma residência nova foi de US$ 213.800 no mês passado, uma alta de 2,9% em comparação com o preço médio de US$ 207.700 no mês anterior. Em relação ao mesmo período de 2010, o preço médio recuou 4,9%. O número de novas residências à venda no final de março recuou levemente para 183 mil - o menor nível dos estoques desde agosto de 1967 -, com a oferta levando 7,3 meses para esgotar-se, ante 8,2 meses em fevereiro.

Em 2010, somente 323 mil casas foram vendidas, o menor patamar recorde. O número também representou uma queda de 13% em relação ao volume vendido em 2009, que foi o segundo pior ano para as vendas. Economistas do Wells Fargo projetam apenas altas modestas para as vendas nos próximos dois anos, com 330 mil novas residências sendo comercializadas neste ano, e 440 mil em 2012. Deverá levar provavelmente outros três anos antes que as vendas de casas novas retornem ao nível anual saudável de cerca de 770 mil.

Por regiões, as vendas de residências novas subiram 66,7% no Nordeste, 25,9% no Oeste e 12,9% no Meio-Oeste. No Sul, houve queda de 0,6%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAimóveisvendasmarço

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.