bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Vendas de combustíveis cresceram 4,57%

As vendas do comércio de combustíveis e lubrificantes cresceram 4,57% em janeiro ante igual período do ano anterior, segundo divulgou hoje o IBGE. Por outro lado, a receita do segmento caiu 0,37% no período, como resultado da queda do preço da gasolina registrada em janeiro. O indicador de vendas revela uma reação do setor no varejo, já que em dezembro havia apresentado queda de 0,21%. Mas apesar da elevação no mês, o segmento registrou uma variação negativa de 1,72% no acumulado de 12 meses até janeiro, como resultado das reduções do ano passado. Eletrodomésticos As vendas de móveis e eletrodomésticos no varejo apresentaram significativa reação em janeiro, com acréscimo de 1,03% ante igual mês do ano passado, após uma queda de 4,44% em dezembro e 6,71% em novembro. A receita nominal do segmento também registrou recuperação expressiva no mês (6,31%), ante quedas de 0,43% em dezembro e 3,07% em novembro. O técnico do Departamento de Comércio e Serviços do IBGE, Nilo Lopes, disse que a reação foi resultado da redução das metas de consumo de energia no mês e até da perspectiva do fim do racionamento - encerrado no início deste mês - e também da expectativa de queda nas taxas de juros. O segmento acumula queda de 2,08% nas vendas em 12 meses até janeiro e no mesmo período registrou aumento de 1,85% na receita nominal.Maior quedaA maior queda nas vendas do varejo em janeiro ocorreu no segmento de veículos, motos e partes, com redução de 20,13% ante igual mês do ano anterior, segundo os dados divulgados hoje na Pesquisa Mensal de Comércio do IBGE. O segmento vinha registrando quedas significativas (-16,65% em novembro e -19,38% em dezembro) desde o segundo semestre do ano passado, prejudicado pelas restrições ao crédito e a desaceleração da economia. A queda acumulada nas vendas em 12 meses atingiu 6,79% em janeiro. O segmento amargou também redução na receita nominal de vendas, sendo queda de 16,87% em janeiro (ante mesmo mês 2001) e de -3,14% nos últimos 12 meses.SupermercadosAs vendas do segmento de hiper e supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo caíram 1,16% em janeiro ante igual mês do ano passado, mas houve crescimento de 8,16% da receita nominal no período. Especificamente as vendas de hiper e supermercados caíram 0,19% no mês, com crescimento de 9,25% da receita. A queda nas vendas com elevação da receita ocorreu também no segmento de tecidos, vestuário e calçados, que amargou no período redução de 0,39% nas vendas, mas aumento de 4,36% na receita. Nilo Lopes, disse que a diferença dos desempenhos entre vendas e receita aponta reajuste de preços.

Agencia Estado,

14 de março de 2002 | 12h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.