Michaela Rehle/Reuters
Michaela Rehle/Reuters

Com a crise, vendas de combustíveis da Petrobrás caem 4% no 4º trimestre

Comercialização de diesel sofreu com impacto da redução da atividade econômica; vendas de gasolina, no entanto, aumentaram

Karin Sato, Márcio Rodrigues, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2017 | 19h43

Apesar do lucro de R$ 2,4 bilhões no período, as vendas de combustíveis pela Petrobrás no mercado brasileiro atingiram 2,001 milhões de barris por dia no quarto trimestre de 2016, um recuo de 4% em relação aos 2,088 milhões de barris diários negociados nos três meses imediatamente anteriores. Na comparação com os 2,171 milhões de barris diários do último trimestre de 2015, houve queda de 7,83%.

A comercialização de diesel, principal mercado para estatal em termos de volume, somou 707 mil barris diários, retração de 12% ante os 804 mil barris negociados no terceiro trimestre de 2016 e de 22% em relação aos 907 mil barris diários vendidos em igual intervalo de 2015. O derivado é consumido em grande escala por caminhões, atividade da economia que depende do desempenho do Produto Interno Bruto (PIB).

Já as vendas de gasolina alcançaram 553 mil barris diários, alta de 6% ante os 521 mil barris diários do trimestre imediatamente anterior e 1,60% abaixo dos 562 mil barris diários do terceiro trimestre de 2015.

Incluindo na conta gás natural, alcoóis, nitrogenados renováveis e outros, o volume total comercializado pela Petrobrás no mercado brasileiro chegou a 2,438 milhões de barris por dia, 4% menos que os 2,5 milhões de barris por dia do terceiro trimestre e 10% abaixo dos 2,7 milhões de barris por dia negociados de igual período de 2015.

O balanço mostrou, ainda, que o volume vendido no mercado externo no terceiro trimestre de 2016 totalizou 1,013 milhão de barris diários, ante 939 mil barris diários no terceiro trimestre e 1,159 milhão de barris diários no mesmo intervalo do ano anterior.

Com isso, as vendas totais da Petrobrás entre outubro e dezembro de 2016 ficaram em 3,450 milhões de barris por dia, 1% menos que os 3,472 milhões de barris diários negociados nos três meses imediatamente anteriores e 10,9% abaixo dos 3,872 milhões de barris comercializados no quarto trimestre de 2015.

Preços. O valor médio de derivados básicos comercializados pela petroleira no mercado interno no quarto trimestre foi de R$ 220,36 o barril, ante R$ 239,36 o barril um ano antes e R$ 228,58 o barril no terceiro trimestre de 2016.

Já o preço de venda do petróleo praticado no Brasil foi de US$ 45,71 o barril para o petróleo, ante US$ 33,50 um ano antes e US$ 41,77 no terceiro trimestre de 2016.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrásPibBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.