Vendas de combustíveis devem bater recorde em 2009

As vendas de combustíveis no Brasil devem bater recorde em 2009, atingindo um volume de 98,1 bilhões de litros, alta de 2% em relação ao ano anterior. A estimativa é do Sindicato das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom) e foi feita com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP). O principal responsável pelo bom desempenho foi o etanol, que deve fechar o ano com aumento de vendas de 24,9% em relação ao ano passado, com 16,6 bilhões de litros. O dado negativo foi o desempenho do mercado de óleo diesel, que terá queda de 2% nas vendas durante o ano.

NICOLA PAMPLONA, Agencia Estado

10 de dezembro de 2009 | 14h36

Na avaliação do vice-presidente executivo do Sindicom, Alísio Vaz, os números refletem o cenário da economia brasileira durante o ano. "A queda no consumo de diesel reflete a situação pela qual passou a economia. A indústria, mais afetada pela crise mundial, demandou menos diesel", comentou Vaz, durante apresentação do balanço setorial de 2009 para jornalistas.

A avaliação é reforçada pelo fato de que os combustíveis do chamado Ciclo Otto (voltados para veículos leves) terão crescimento de 7,4% este ano, na comparação com o ano passado - o dado inclui vendas de gasolina, álcool hidratado e GNV. "O consumidor comum não parou de consumir combustível" destacou Vaz.

O consumo de gasolina, isoladamente, permaneceu estável em relação ao ano anterior, com venda de 25,2 bilhões de litros. Vaz afirmou que existe a possibilidade de as vendas de gasolina caírem no ano que vem, por conta da substituição pelo etanol. Este ano, somando os volumes de álcool anidro e hidratado, as vendas totais de etanol ficaram em torno dos 23 bilhões de litros ante 19 bilhões da gasolina A (pura, sem adição de etanol).

Segundo as projeções do Sindicom, em 2010 o etanol hidratado sozinho já ultrapassará o consumo de gasolina. Vaz citou o dado como um argumento para um reforço na fiscalização sobre o mercado de etanol. Segundo ele, há atualmente uma perda fiscal de R$ 1 bilhão em sonegação e inadimplência. De acordo com o balanço do Sindicom, o faturamento total do setor de combustíveis chegará a R$ 192 bilhões em 2009, com pagamento de R$ 57 bilhões em tributos federais e estaduais.

Tudo o que sabemos sobre:
combustíveisvendasSindicom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.