Vendas de eletroeletrônicos crescem 16,28% no 1º semestre

Levantamento realizado pela Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros) mostrou que as vendas de produtos eletroeletrônicos no primeiro semestre deste ano foram 16,28% superiores ao registrado no mesmo período do ano passado. Apesar de todos os segmentos terem registrado bom desempenho de vendas, a entidade destacou que os aparelhos de DVDs puxaram a expressiva alta, com incremento de 122,25% sobre os primeiros seis meses de 2004.Segundo a Eletros, sem os DVDs, cujo comportamento das vendas foi considerado um "caso excepcional", o setor teria registrado crescimento de 8% sobre o primeiro semestre de 2004, resultado que já seria considerado positivo pela entidade.De acordo com a Eletros, as vendas da linha branca cresceram 5,63% neste semestre, com destaque para refrigeradores, cujo desempenho foi 12,02% maior que no primeiro semestre de 2004, e lavadoras automáticas, com alta de 7,12%.As vendas de eletroportáteis subiram 4,81%, com destaque para liquidificadores e batedeiras de bolo, com altas de 23,74% e 5,11%, respectivamente.A linha de imagem e som apresentou alta de 34,24%, o melhor resultado entre os segmentos analisados. Mesmo sem as vendas dos DVDs, com alta de 122,25%, o grupo teria tido o melhor desempenho entre todos os segmentos analisados, com alta de 12,85%. Os radiogravadores e os televisores também se destacaram no grupo, com altas de 45,61% e 23,10%, respectivamente.Preços em queda contribuemSegundo o presidente da Eletros, Paulo Saab, a reduzida variação dos preços dos eletroeletrônicos também contribuiu para a recuperação do setor. Citando dados da Fipe, ele informou que enquanto a inflação do primeiro semestre foi de 2,72%, os preços dos eletroeletrônicos subiram 0,62% no período.Com base nos dados de vendas do primeiro semestre, que ainda não refletiram eventuais efeitos da crise política sobre o nível de confiança do consumidor, Saab prevê que o setor feche o ano com vendas entre 8% e 10% superiores ao registrado em 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.