finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Vendas de imóveis em SP ficam estáveis em 2010

Em dezembro, a comercialização de novas unidades na capital caiu 12,4% em relação a um ano antes, mas avançou 51,7% ante novembro

Fabiana Holtz, da Agência Estado,

17 de fevereiro de 2011 | 07h15

No acumulado do ano as vendas de imóveis novos na capital somou 35.869 unidades, indicando estabilidade em relação ao ano anterior, quando foram comercializados 35.832 imóveis. A performance, segundo a entidade, confirma as previsões de estabilidade ou leve crescimento para o período.

Na capital, o Valor Global de Venda (VGV) cresceu 22,5% no ano, para R$ 14,2 bilhões, enquanto o índice de Vendas sobre Oferta (VSO) médio acelerou de 17,6% para 23,2% - marcando o melhor desempenho desde 2004, ano da modificação de metodologia da pesquisa.

Na linha dos lançamentos, o ano foi marcado pela reposição de unidades, com produção de 37.304 imóveis na capital e crescimento de 18,1% sobre 2009. Segundo Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP, o setor passa por uma fase de reposição da oferta porque a comercialização não sofreu a redução percebida em termos de lançamentos no período pós-crise, ocorrido na segunda metade de 2008.

O mercado imobiliário na cidade de São Paulo encerrou 2010 dentro das perspectivas de vendas, com a migração de investimentos em novos lançamentos na região metropolitana e no interior e outros Estados. Essa expansão geográfica de atividades do setor se deve em parte à necessidade de novos investimentos, mas, também, às dificuldades produzidas pela legislação urbanística da capital paulista.

Dezembro

A venda de imóveis novos na cidade de São Paulo caiu 12,4% em dezembro em relação a um ano antes, totalizando 4.960 moradias, de acordo com a pesquisa sobre o Mercado Imobiliário realizada mensalmente pelo Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi-SP). Em relação a novembro, porém, a performance representa expansão de 51,7%.

O índice de Vendas sobre Oferta (VSO), que mede a relação entre a quantidade de unidades comercializadas e a oferta no mês, ficou em 29,2% no mês de dezembro. O resultado é inferior ao informado no mesmo período do ano anterior (30,8%), mas supera em 5,1 pontos porcentuais o nível atingido em novembro.

Conforme a entidade, o segmento de dois dormitórios permaneceu na liderança, concentrando 52% das unidades negociadas em dezembro. Apesar do sucesso obtido pelas unidades com valores entre R$ 100 mil e R$ 150 mil, em bairros vizinhos aos tradicionais houve boa movimentação dos imóveis de dois dormitórios na faixa de R$ 260 mil a R$ 500 mil em regiões mais tradicionais, como Brooklin e Morumbi, com destaque para os de R$ 320 mil a R$ 390 mil. No segmento também foi apurado um bom escoamento de imóveis de alto padrão, com valores acima de R$ 900 mil em regiões como o Itaim e a Vila Olímpia.

O nicho de três dormitórios respondeu por 32,3% das vendas e destaque em bairros tradicionais, com imóveis negociados em valores próximos a R$ 260 mil e também na faixa de R$ 500 mil.

No conceito área útil, os imóveis com até 130 metros quadrados concentram 95,9% das vendas informadas no último mês do ano. Imóveis com área útil entre 46 metros quadrados e 65 metros quadrados representaram 44,8% do total negociado.

Em dezembro as vendas se concentraram no período de lançamento, sendo que 94,7% dos imóveis negociados possuíam no máximo até seis meses de oferta desde o momento de lançamento.

Região metropolitana

Na região metropolitana de São Paulo, que concentra 38 municípios além da capital, foram comercializados 7.108 imóveis em dezembro, registrando acréscimo de 12,8% ante novembro. A participação da cidade de São Paulo no total comercializado na região cresceu no período, passando de 52,1% para 69,8%. A pesquisa sobre a região foi iniciada em março de 2010, e portanto não apresenta comparativos em relação ao ano anterior. O segmento de dois dormitórios prevaleceu também na região metropolitana, representando 52,1% do total negociado em dezembro. O nicho de três quartos ficou com 32,7% do volume comercializado.

No ano foram vendidas 65,2 mil moradias na região, sendo que 55% desse montante está concentrado na capital.

No mês foram lançados 10.731 imóveis na região, com a capital respondendo por 70% do total, segundo dados da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp). O segmento de dois dormitórios concentrou 53,5% do total lançado em dezembro, com 5.745 unidades. As regiões com o maior volume de lançamento foram: Mogi das Cruzes, Guarulhos e o bairro do Morumbi, na capital. O segmento de três quartos representou 31,6% nos lançamentos e a regiões que mas se destacaram foram Morumbi, Bom Retiro, na capital, e Osasco.

Segmento comercial

No último mês do ano foram lançados na região metropolitana 2.351 conjuntos comerciais, com área total de 221,5 mil metros quadrados. O número de conjuntos colocados em oferta em dezembro representou 31,6% do total de 7.445 conjuntos lançados em 2010 na região metropolitana.

Em nota, o Secovi observa que o maior interesse dos empresários do setor em diversificar seus investimentos pode ser comprovado pelo aumento de 69,3% no volume de lançamentos de conjuntos de escritórios na região no ano passado em relação a 2009.

Tudo o que sabemos sobre:
secovi-spimóveisvendasspestabilidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.