Vendas de imóveis nos EUA frustram investidores

O desempenho abaixo do esperado do mercado imobiliário nos Estados Unidos e a expectativa sobre a decisão do Federal Reserve (Fed), que decide hoje como ficarão as taxas de juros no país, ditaram ontem o clima de cautela nas bolsas mundiais. Nos EUA, enquanto o Índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, caiu 0,19%, o S&P subiu 0,23% e a Nasdaq caiu 0,07%. Na Europa, a Bolsa de Londres recuou 0,10%, a de Frankfurt subiu 0,29% e a de Paris caiu 0,21%. Apesar de as vendas de imóveis usados nos EUA terem subido 2,4% em maio, pelo segundo mês consecutivo, para um taxa anualizada de 4,77 milhões de unidades, o resultado frustrou os analistas, que apostavam em alta de 2,6%.Os números de abril ainda foram revisados para baixo pela Associação Nacional de Corretores Imobiliários, que faz o levantamento. No período, 4,66 milhões de imóveis foram vendidos no país, abaixo dos 4,68 milhões previstos inicialmente. Entre as residências vendidas em maio, cerca de 33% foram execuções imobiliárias ou vendas com depreciação no valor. Embora esse porcentual seja elevado, está abaixo da faixa média de 45% a 50% do começo do ano. O preço médio de um imóvel usado nos EUA em maio estava em US$ 173 mil, 16,8% menos que um ano antes."É preciso que as vendas aumentem mais para estabilizar os preços", comentou o economista da associação, Lawrence Yun. O dado positivo é que o estoque de casas caiu 3,5% em maio, para perto de 3,8 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.