Vendas de imóveis novos em SP têm 2º pior mês do ano em outubro

Transações caíram pela metade em outubro em relação ao mesmo período do ano passado; resultado foi influenciada por eleições, diz sindicato

REUTERS

11 Dezembro 2014 | 07h05

As vendas de imóveis novos na capital paulista caíram 55,4% em outubro na comparação anual, a 963 unidades, no segundo pior mês do ano, informou o sindicato de habitação Secovi-SP nesta quinta-feira, .

Em relação a setembro, o recuo foi de 65,4%. Naquele mês, houve avanço de 55,1% sobre agosto e queda de 5,6% na comparação anual.

O resultado em outubro foi pressionado pelas eleições no período. Além das incertezas políticas, segundo o Secovi, os finais de semana representam os melhores dias para o mercado imobiliário, e naquele mês dois deles foram dedicados à votação.

De janeiro a outubro, foram vendidas 15.337 unidades residenciais novas, queda anual de 44,7 por cento.

Os lançamentos em outubro caíram 20,9% ano a ano, a 2.336 unidades. Ante setembro, o volume foi 41,9% inferior, disse o Secovi.

O valor geral de vendas em outubro foi de 531 milhões de reais, recuo anual de 63% e mensal de 55,6%.

Grande São Paulo. Considerando os municípios que compõem a região metropolitana de São Paulo, as vendas foram 24,2% menores em outubro na comparação anual e caíram 27,1% sobre setembro, para 3.499 unidades.

Desconsiderando o resultado na capital, as vendas teriam sido 3,3% maiores na comparação anual e 26,1% superiores a setembro, disse o Secovi.

Os lançamentos na região foram de 4.808 unidades, queda de 28,9% ano a ano e de 18,6% sobre setembro.

(Por Juliana Schincariol, no Rio de Janeiro; edição de Aluísio Alves)

Mais conteúdo sobre:
CONSTRUCAOSECOVIOUTUBRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.