Vendas de imóveis registram estabilidade na Grande SP

A comercialização de imóveis novos na Grande São Paulo, que engloba 38 cidades e a capital, manteve-se estável no segundo trimestre em relação aos primeiros três meses do ano, passando de 16.797 unidades para 16.779 unidades, de acordo com pesquisa do Sindicato das Empresas de Compra, Locação e Administração de Imóveis Comerciais de São Paulo (Secovi-SP). As informações sobre o que ocorre no mercado imobiliário da Grande São Paulo passaram a ser divulgadas neste ano.

FABIANA HOLTZ, Agencia Estado

19 de agosto de 2010 | 11h25

A cidade de São Paulo foi responsável por 50,6% do total vendido nos primeiros seis meses do ano (33.576 unidades) na região. O segmento de dois dormitórios liderou as vendas, concentrando 42% das negociações, enquanto o nicho de três dormitórios ficou com 38,3% do total comercializado no semestre.

A expansão nos dois segmentos ocorreu, segundo os especialistas do Secovi-SP, em razão da queda de participação das vendas de unidades de quatro dormitórios. No semestre, esse segmento respondeu por apenas 13% das unidades comercializadas. No período, os lançamentos somaram 26,8 mil unidades com a capital respondendo por metade desse volume. O resultado representa alta de 87,5% em relação a igual período do ano anterior. Em 2004, a capital representava mais de 80% dos lançamentos da região metropolitana.

Tudo o que sabemos sobre:
imóveisvendasSecoviGrande SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.