Vendas de imóveis residenciais novos em SP caem em fevereiro

As vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo recuou 34,6 por cento em fevereiro em relação ao mesmo mês do ano passado, mas subiu 125,2 por cento ante janeiro, totalizando 1.869 unidades, informou nesta segunda-feira o sindicato que representa o setor imobiliário na capital paulista, Secovi-SP.

REUTERS

20 de abril de 2011 | 14h58

"O segundo mês de 2011 confirmou a sazonalidade tradicionalmente observada no início do ano no mercado de imóveis novos residenciais da cidade de São Paulo e região. A capital apresentou resultados melhores em relação a janeiro, mas muito aquém dos números registrados em fevereiro de 2010", disse o sindicato em comunicado.

O indicador de desempenho da comercialização de imóveis, chamado de Venda Sobre Oferta (VSO), foi de 13,2 por cento em fevereiro, contra 21,1 por cento no mesmo mês de 2010 e 6,7 por cento em janeiro.

O Secovi-SP informou ainda que no segundo mês do ano 86,4 por cento dos imóveis, ou 1.614 unidades, foram negociadas na fase de lançamento.

Os imóveis de dois dormitórios registraram vendas de 777 unidades, ou 41,6 por cento do total. Os de três dormitórios registraram participação de 32,3 por cento, ou 603 unidades.

(Por Carolina Marcondes)

Tudo o que sabemos sobre:
CONSTRUCAOSECOVIFEVEREIRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.