Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Vendas de São Paulo cresceram 7,8% em 2000

As vendas no comércio paulistano em 2000 foram, em média, 7,8% superiores às verificadas em 1999. "Os números demonstram que o brasileiro voltou a comprar a prazo com a queda dos juros. Houve também uma recuperação do nível de emprego, mesmo que não de salário, trazendo maior confiança ao consumidor", afirmou Emílio Alfieri, economista da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).De acordo com a ACSP, em 2000 foram realizadas 17,47 milhões de consultas ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) na capital, 8,5% mais que em 1999. "Isso revela que os consumidores estão optando pela compra de bens duráveis, principalmente eletroeletrônicos, por meio de financiamento", disse Alfieri. No mesmo período, as consultas pelo Telecheque para vendas à vista subiram 7,2%, saltando de 17,80 milhões em 1999 para 19,08 milhões em 2000. "A opção tem sido pelo pagamento em prazos maiores, com parcelas de menor valor e que sem causar grandes impactos sobre o orçamento doméstico", comentou.A expectativa do economista é que o desempenho de janeiro de 2001 também será bom. Segundo Alfieri, os efeitos da redução da taxa básica referencial de juros, a Selic, devem ser sentidos somente este ano. Mesmo assim, o desempenho do mês de dezembro de 1999 foi apontado como o melhor dos últimos três anos pela ACSP.

Agencia Estado,

02 de janeiro de 2001 | 19h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.