carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Vendas de veículos caem 3,05% na 1ª quinzena de dezembro

Comercialização no setor, que já havia recuado aos níveis de quase dois anos atrás, continua caindo no País

Beth Moreira, da Agência Estado,

17 de dezembro de 2008 | 16h06

As vendas totais de veículos caíram 3,05% na primeira quinzena de dezembro, na comparação com igual período de novembro, totalizando 165.313 unidades, segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Na comparação com o mesmo intervalo de igual mês de 2007, a queda foi de 27,78%. Os números incluem automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários. Veja também:De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise   O segmento de automóveis e comerciais leves, especificamente, registrou retração de 3,60% na primeira quinzena de dezembro em relação a novembro e de 31,39% na comparação com os primeiros quinze dias de dezembro do ano passado. Ao todo foram comercializadas 86.619 unidades.  Em novembro, as vendas da indústria já haviam recuado aos níveis de quase dois anos atrás. Mesmo com a liberação de R$ 8 bilhões por parte de bancos oficiais para as montadoras financiarem o consumo, foram vendidos 177,8 mil veículos, o mais baixo volume mensal nos últimos 21 meses. O volume é 25,7% menor que o de outubro, que já tinha sido 11% inferior ao de setembro. Em relação a novembro de 2007, os negócios caíram 25%. Além disso, o segmento de veículos e motos foi responsável pela primeira queda nas vendas do comércio varejista no País em oito meses, de acordo com dados do IBGE. Essa atividade, que faz parte do chamado comércio varejista ampliado (que inclui também o segmento de construção), mostrou queda de 19,9% nas vendas em outubro ante setembro e recuo de 7,3% ante outubro do ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.