bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Vendas devem aumentar no Dia dos Namorados

Levantamento divulgado nesta quinta-feira pela Serasa revelou que 41% do empresariado brasileiro espera aumento no volume das vendas do Dia dos Namorados, na comparação com o mesmo período do ano passado. Já 33% deles acreditam em queda das vendas e 26% apostam em estabilidade das vendas. A Serasa entrevistou 955 empresas do setor do comércio em todo o País, entre os dias 15 e 22 de maio.As grandes empresas são as mais otimistas em relação ao aumento das vendas: 44% acreditam em alta das negociações, 36% não esperam alterações e 20% apostam em queda. Já entre as pequenas empresas, 41% contam com alta das vendas, 24% esperam manter o mesmo nível de 2005 e 35% dos entrevistados afirmaram que acreditam em queda nas vendas do setor.Na análise regional, a pesquisa da Serasa mostrou que as regiões Norte, Nordeste e Sudeste aguardam crescimento das vendas, respectivamente com 52% do empresariado, 48% e 45%. Já as regiões Sul e Centro-Oeste são as menos otimistas, com apenas 31% e 32%, respectivamente, do comércio esperando por aumento nas vendas.Faturamento Em relação ao faturamento, 35% dos empresários do comércio acreditam em um aumento da receita nas compras para o Dia dos Namorados. O pessimismo atinge 34% dos entrevistados, que esperam por uma queda nas vendas, e 31% contam com o mesmo faturamento verificado no ano passado. As grandes empresas do comércio são as mais otimistas, com 42% que revelaram esperar uma alta no faturamento, enquanto 31% das médias empresas acreditam em um aumento. No caso das pequenas empresas, essa categoria atinge 35%.O estudo da Serasa ainda mostrou que os empresários apostam que 40% dos pagamentos das compras do Dia dos Namorados sejam realizadas à vista, e 60% a prazo. Das vendas à vista, 69% serão feitas por dinheiro e cheque, de acordo com os entrevistados. Já nas negociações a prazo, o comércio espera que predomine o pagamento com cheques pré-datados (35%), seguido pelo crediário (22%) e cartão de crédito (20%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.