Reprodução
Reprodução

Vendas do ‘Black Friday da crise’ ficam abaixo do esperado

Crédito escasso, inflação e dólar em alta contribuíram para um faturamento de R$ 200 milhões na data, cifra 28% abaixo da expectativa; vendas, porém, superaram as do ano anterior

Ian Chicharo Gastim, O Estado de S. Paulo

19 de março de 2015 | 16h51


Prometendo descontos de até 80%, o "Dia do Consumidor Brasil" movimentou o varejo online no País nesta quarta-feira, mas as vendas do evento – uma espécie de "Black Friday" fora de época – ficaram abaixo das expectativas, em meio ao pessimismo com a economia e o crédito escasso, além da inflação e dólar em alta.

De acordo com a E-bit, empresa especializada em informações do comércio eletrônico, as vendas superaram R$ 200 milhões nas 24h de ofertas, valor 28% abaixo dos R$ 278 milhões esperados.

 "O consumidor pode ter ficado um pouco mais comedido nas suas compras, preocupado em gastar, mesmo com os altos descontos oferecidos", afirma Rodrigo Borer, CEO do Buscapé Company, empresa que organizou o evento pela segunda vez.

Apesar de abaixo da expectativa, a segunda edição do "Dia do Consumidor Brasil" superou o resultado registrado em vendas diárias no mês de março, tradicionalmente um período mais fraco para o comércio online. O valor médio das vendas passou de R$ 425, ficando 20% acima de um dia normal, e o volume de pedidos cresceu 35%. "O resultado foi positivo, não tanto quanto a gente esperava, mas o faturamento de R$ 200 milhões superou a primeira edição [R$ 174 milhões] e foi 61% maior que o resultado da semana passada", afirma Borer.

Segundo o executivo, o evento também deve ocorrer em 2016. "Todos os varejistas estão falando do 'Dia do Consumidor' como um fato", afirma. "Não tenho dúvidas de que vamos fazer mais uma edição do evento no ano que vem", diz.

Categorias mais vendidas

Mais de 650 lojas aderiram ao "Dia do Consumidor Brasil", que somou mais de 30 mil ofertas nas 24 horas do evento

Tudo o que sabemos sobre:
varejodia do consumidorblack friday

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.