Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Vendas do comércio crescem 1,1% em agosto, após dois meses de queda

Varejo recupera seu desempenho positivo e registra maior alta desde julho do ano passado

Daniela Amorim, Agência Estado

15 de outubro de 2014 | 09h06

As vendas do comércio varejista subiram 1,1% em agosto na comparação com julho, na série com ajuste sazonal. Com esse resultado, o varejo recupera seu desempenho positivo, após registrar queda nas vendas por dois meses seguidos.

Essa também foi a maior alta desde julho de 2013, quando as vendas do comércio aumentaram 2,6%. Dentre os setores, oito das dez atividades pesquisadas registraram alta em agosto, com destaque para o segmento de equipamentos e material para escritório, informática e comunicação, que registrou o maior crescimento, de 7,5%. 

O setor de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo registrou queda de 0,1% - a única baixa do varejo restrito. Segundo Juliana Vasconcellos, gerente da coordenação de serviços e comércio do IBGE, a inflação dos alimentos e o crescimento menor da renda explicam os menores resultados dos supermercados.

Considerando o varejo ampliado, que também abarca as atividades do comércio de material de construção e de veículos, o segmento de veículos e motos, partes e peças foi responsável pela outra baixa do mês: encolhimento de 2,5% em agosto ante julho.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 15, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pela Agência Estado, que esperavam desde queda de 0,30% a crescimento de 2,10%, e mediana positiva de 0,80%.

Na comparação com agosto do ano passado, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram baixa de 1,1% em agosto deste ano. Nesse confronto, as projeções vão de recuo de 2,80% a avanço de 0,50%, com mediana negativa de 1,10%. Até agosto, as vendas do varejo restrito acumulam alta 2,90% no ano e aumentam 3,6% nos últimos 12 meses.

No varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas caíram 0,40% em agosto ante julho, na série com ajuste sazonal. O resultado veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pela Agência Estado, que esperavam desde queda de 1,90% a crescimento de 1,30%, mediana negativa de 0,40%.

Sem ajuste, na comparação com agosto do ano passado as vendas do varejo ampliado tiveram baixa de 6,8% em agosto deste ano, dentro do intervalo das projeções, que variavam de recuo de 4,20% a 8,60%, com mediana negativa de 6,25%. Até agosto, as vendas do comércio varejista ampliado acumulam queda de 1,5% no ano e aumento de 0,6% nos últimos 12 meses.

Tudo o que sabemos sobre:
varejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.