Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Vendas do comércio varejista cresceram em novembro

As vendas do comércio varejista cresceram 0,26% em novembro na comparação com outubro, segundo divulgou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para este indicador com ajuste sazonal (que leva em consideração a tendência econômica do período pesquisado), um dos setores que mais venderam foi o de Móveis e Eletrodomésticos, com variação de 3,56%. Os produtos enquadrados na área de Combustíveis e Lubrificantes apresentaram alta um poco mais tímida (0,27%). Já os setores de Hipermercados, Supermercados, Produtos Alimentícios, Bebidas e Fumo; juntamente do de Tecidos, Vestuários e Calçados, tiveram retração no período, de (0,52%) e (0,02%), respectivamente. Na comparação com novembro de 2004, as vendas do varejo cresceram 4,87%, puxadas pelo setor de Móveis e Eletrodomésticos (14,47%). No ano, o comércio acumula alta nas vendas de 4,82% e em 12 meses, de 5,53%.Varejo AmpliadoPara o Comércio varejista ampliado (varejo mais as atividades de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção), as variações na relação novembro de 2005 com igual período do ano anterior foi de 3,55%. No acumulado de janeiro até novembro de 2005, sobre igual período do ano anterior, o setor cresceu 3,09% em volume de vendas.EstabilidadeOs dados do varejo em novembro mostram que "na ponta o comércio está caminhando dentro de uma certa estabilidade", segundo avalia Nilo Lopes, técnico da coordenação de comércio do IBGE. Segundo ele, uma aceleração maior das vendas do setor depende, no momento, de menor limitação do crédito da parte dos tomadores. Lopes acredita que os consumidores já se endividaram bastante e, agora, precisam quitar as dívidas antes de acessar o crédito novamente. "O crédito continua sendo um fator importante para o comércio e uma aceleração vai depender da capacidade de endividamento das famílias", disse. O economista exemplifica que a decisão de parte dos consumidores de "limpar o nome" nos últimos meses já levou a uma reação das vendas de móveis e eletrodomésticos, que cresceram 3,56% em novembro ante outubro e garantiram o aumento de 0,26% das vendas do setor nessa base de comparação.

Agencia Estado,

17 de janeiro de 2006 | 12h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.