Vendas do varejo crescem 1,22% em maio, diz IBGE

As vendas do comércio varejista cresceram 1,22% em maio ante igual mês do ano passado, segundo dados divulgados hoje pelo IBGE. O principal impacto positivo para o varejo foi dado pelo segmento de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, que registrou uma expansão de 3,3% no mês, após a expressiva queda de 6,29% em abril. As taxas do comércio continuam negativas no acumulado dos cinco primeiros meses do ano (-0,59%) e nos últimos 12 meses (-1,42%). A receita nominal de vendas do comércio registrou crescimento de 7,48% em maio ante maio de 2001 e já acumula, no ano, alta de 5,38%.O crescimento não pode ser analisado como uma recuperação do setor, segundo afirmou o técnico do departamento de comércio do IBGE, Nilo Lopes. Segundo ele, esse é um "bom resultado" diante dos desempenhos mais recentes, como a queda de 1,92% em abril e a estabilidade (0,27%) de março. Lopes lembrou que a indústria apresentou queda na produção em maio, o que pode significar uma redução das encomendas do comércio que estarão refletidas nos dados do varejo de junho. Por outro lado, ele disse que há também possibilidade que os dados de junho serem beneficiados pelas vendas de artigos para a Copa do Mundo. "Mas mesmo se houver crescimento, ele deverá ser pontual, não dá para falar em reversão da tendência de queda", disse. Exemplo disso, segundo Lopes, é que varejo mantém a queda nos indicadores acumulado do ano (-0,59%) e últimos 12 meses até maio (-1,42%). "O comércio vem pagando o preço de uma conjuntura ainda complicada da renda, dos emprego, dos juros elevados e, ainda, da instabilidade do dólar, que amedronta os consumidores", disse.

Agencia Estado,

12 de julho de 2002 | 09h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.