Vendas do varejo nos EUA crescem 1,2% em novembro

Enquanto faturamento do comércio sobe, preços no atacado registram maior alta em 34 anos

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

13 de dezembro de 2007 | 11h40

As vendas do varejo norte-americano cresceram 1,2% em novembro, ante alta de 0,2% em outubro, segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 13, pelo Departamento do Comércio dos Estados Unidos. Excluindo os automóveis, as vendas subiram 1,8%, a maior alta desde janeiro de 2006.   Enquanto o comércio varejista cresce, os preços ao produtor norte-americano registraram a maior alta desde agosto de 1973, durante a administração de Richard Nixon, puxado por elevação recorde nos preços de energia.   O PPI saltou 3,2% em novembro, informou o Departamento do Trabalho. O núcleo do PPI, que exclui os setores voláteis de energia e alimentos, avançou 0,4%, a maior alta em um ano. Os economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam elevação de 1,7% no índice cheio e de 0,2% no núcleo do índice.   Em 12 meses até novembro, os preços no atacado subiram 7,2%, a maior alta desde novembro de 1981. O núcleo do PPI subiu 2% em 12 meses até novembro, em comparação ao mesmo período do ano passado.   Os preços de energia registraram avanço recorde de 14,1% em novembro em comparação a outubro, enquanto os preços da gasolina no atacado avançaram 34,8%, também oscilação recorde. Os preços dos alimentos, em contrapartida, ficaram inalterados. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
InflaçãoComércioEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.