Vendas do varejo têm ligeira alta em outubro

As vendas do comércio varejista registraram crescimento de 0,06% em outubro na comparação com setembro, informa o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O aumento reverte a queda de 0,19% registrada em setembro sobre agosto. Na comparação com outubro do ano passado, as vendas cresceram 3,74%. No ano, alta nas vendas acumula 4,82%.Os principais impactos positivos em outubro em relação com setembro foram os hipermercados, supermercados, alimentos e bebidas (1,43%), móveis e eletrodomésticos (11,94%), tecidos, vestuário e calçados (9,18%) e equipamentos de informática (69,85%). Foram registradas quedas em combustíveis e lubrificantes (-9,08%), veículos e motos (-0,87%) e material de construção (-6,39%). Os dados confirmam a desaceleração do crédito e "um certo grau de satisfação da demanda" em relação a bens duráveis, segundo avalia Reinaldo Pereira, da coordenação de serviços e comércio do IBGE. Segundo ele, os dados de móveis e eletrodomésticos (-0,44% ante setembro) confirmam que o crédito "existe, mas já cresce menos".Ele observou ainda que a continuidade do processo de perda de ritmo do crescimento das vendas do varejo ante igual mês do ano anterior também reflete a desaceleração do crédito, além de uma "situação de menor atividade" da economia. Segundo Pereira, isso se justifica pela elevada base de comparação do ano passado, o crédito que já esbarra no limite de endividamento dos consumidores e, ainda, as menores variações no crescimento do rendimento médio real dos trabalhadores.Efeito da rendaA renda tem influência direta no desempenho de hiper e supermercados, o segmento de maior peso na pesquisa que continua registrando aumentos, mas em menor magnitude. Segundo Pereira, já está claro que o varejo não alcançará em 2005 um crescimento sequer próximo dos 9,25% acumulado no ano passado. De janeiro a outubro, o aumento acumulado foi de 4,82%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.