Vendas e empregos crescem na indústria em fevereiro

As vendas da indústria de transformação em fevereiro caíram 0,44%, em termos dessazonalizados (sem levar em conta os efeitos temporais), ante janeiro, mas tiveram crescimento de 1,43% ante fevereiro de 2005. Segundo os dados divulgados hoje pela Confederação Nacional da Indústria, no primeiro bimestre deste ano as vendas acumulam um crescimento de 1,84% na comparação com o primeiro bimestre de 2005. Para a CNI, o fato de ter havido uma acomodação nas vendas reais da indústria, em fevereiro, não implica em perda de dinamismo. Até janeiro, os indicadores industriais mostravam uma recuperação nas vendas reais e uma acomodação no número de horas trabalhadas, indicando assim, naquele momento, que a indústria estava desovando os produtos em estoque. Agora, as horas trabalhadas na indústria, que indicam o ritmo da produção, cresceram 2,08% em fevereiro ante janeiro e 2,30% ante fevereiro de 2005. No acumulado do primeiro bimestre, as horas trabalhadas na produção aumentaram 1,93% em relação ao primeiro bimestre de 2005. Segundo o documento, esta expansão interrompeu uma tendência de queda por três meses consecutivos e sinaliza que o processo de ajuste dos estoques, iniciado no fim do ano passado, se completou. Com a estabilidade nas vendas e aumento nas horas trabalhadas, a CNI acredita que o cenário abre espaço para a geração de novos empregos no setor. Empregos já começam a crescer O uso da capacidade instalada (uso da capacidade da indústria) subiu de 80,6% em janeiro para 80,9% em fevereiro. No entanto, o indicador era de 82,7% em fevereiro de 2005. O número de empregos na indústria cresceu 0,40% em fevereiro ante janeiro e 0,96% em fevereiro ante fevereiro de 2005. No acumulado de janeiro e fevereiro, o número de pessoas empregadas na indústria cresceu 0,86% ante janeiro/fevereiro de 2005. A CNI não divulgou novamente se houve ou não crescimento dos salários pagos pela indústria. Por causa de uma mudança na metodologia, a CNI ainda não divulgou nenhum dado sobre este indicador em 2006.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.