Vendas em cheque e a prazo devem crescer 6% no Dia da Criança

As vendas com pagamento em cheques e a prazo deverão aumentar no País em 6% no Dia da Criança, ante o mesmo período de 2004. A projeção é do Serviço de Proteção ao Crédito Brasil (SPC Brasil), que justificou nesta segunda-feira que o aumento, constatado por meio do volume de análise de crédito dos consumidores, deverá ser causado, principalmente, pela queda dos juros e pela competitividade dos importados, influenciada diretamente pela queda do dólar, em relação ao real.De acordo com o SPC Brasil, a economia nacional está demonstrando atualmente uma situação favorável, apesar da crise política que atingiu o País. Este cenário, somado às negociações do Dia da Criança, deverá ter papel importante no desempenho das vendas de outubro. Em 2004, o volume de consultas à base de dados do SPC Brasil, na primeira dezena do mês, representou quase 40% do total de análises de crédito realizadas naquele período.A empresa de análise de crédito, que não inclui no levantamento as negociações em dinheiro, destacou que os principais produtos comercializados no período serão os brinquedos, itens de confecções, calçados e telefones celulares. Segundo a SPC Brasil, o valor médio das compras dos consumidores deverá ficar entre R$ 30 e R$ 60.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.