coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Vendas em supermercados argentinos despencam 31,5% em abril

O volume de vendas nos supermercados argentinos caiu 31,5% em abril, em relação ao mesmo mês do ano passado, e recuou 2,5% na comparação com março, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec), nesta sexta-feira. As informações são do jornal Clarín, publicadas em sua página na Internet.Nos shoppings, as vendas diminuíram 22% sobre abril de 2001 e caíram 5,6% em relação a março. Já os preços dos artigos vendidos nos supermercados, acumularam alta de 44,7% entre janeiro e abril, informou o Indec. O dado evidencia que o aumento no preço dos artigos de consumo em massa são muito maiores do que os números do índice de preços ao consumidor (IPC), que mostrou uma elevação de 21,1% no mesmo período.Os produtos eletrônicos vendidos nos supermercados foram os que registraram maior elevação de preços nos primeiros quatro meses deste ano, com uma alta de 70%, seguidos de limpeza e perfumaria (60,3%), alimentos (40%) e vestuário (33%)."A quantidade de artigos vendidos vem caindo desde janeiro, enquanto os preços sobem", disse a coordenadora de Estatísticas de Comércio do Indec, Mabel de Risio. "Este fenômeno se deve ao fato de os preços subirem enquanto os salários se mantêm estáveis".Outro dado que revela a forte deterioração do poder de compra, especialmente da classe média, é a contração de 22% apresentada pelas vendas nos shoppings centers em abril, que somaram 107,4 milhões de pesos, contra 137 milhões de pesos apurados no mesmo mês de 2001. No primeiro quadrimestre, a baixa chegou a 27,8%.

Agencia Estado,

24 de maio de 2002 | 19h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.