NILTON FUKUDA/ESTADÃO
NILTON FUKUDA/ESTADÃO

coluna

Thiago de Aragão: investidor estrangeiro vê como irreal promessa de Guedes de 4 privatizações em 90 dias

Vendas nas lojas físicas em São Paulo caem mais de 50% na segunda quinzena de março

Segundo dados da Associação Comercial, no acumulado mês, recuo foi de 27% em relação ao mesmo mês do ano passado

Márcia De Chiara, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2020 | 10h17

As vendas nas lojas físicas na cidade de São Paulo despencaram na segunda quinzena de março, por conta do isolamento social em razão da pandemia do novo coronavírus. Entre consultas a prazo e à vista, a retração na segunda quinzena de março foi de 53,4%  em relação ao mesmo período de 2019, segundo a Associação Comercial de São Paulo. A maior queda foi nos negócios a prazo (-61,7%), enquanto nos negócios à vista, o recuo foi de 45%.

No mês fechado de março, que teve a primeira quinzena no azul, o saldo também foi negativo na comparação anual: queda de 27% em relação a março de 2019.

Nesse caso, a maior retração também foi nas vendas a prazo (-30,4%), enquanto nas vendas a vista a queda foi de 23,6%. Os dados não incluem as consultas para vendas no comércio eletrônico e os supermercados, que vinham registrando crescimento no período.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.