Vendas no comércio caem em fevereiro após 3 meses de alta

Depois de subirem por três mesesseguidos, as vendas do comércio varejista brasileiro recuaramem fevereiro pela primeira vez em três meses, mas acumulam noano crescimento de dois dígitos, segundo pesquisa divulgadanesta terça-feira. As vendas recuaram 1,5 por cento mês a mês, com ajustesazonal, informou o Instituto Brasileiro de Geografia eEstatística (IBGE). "Houve uma acomodação, após as significativas expansões emvolume de vendas (2,2 por cento) e receita nominal (2,6 porcento) de janeiro", disse o instituto em nota. Na comparação com fevereiro de 2007, por outro lado, houvealta das vendas de 12,2 por cento, a maior taxa para um mês defevereiro desde o início da série histórica, em 2001. No ano, as vendas acumulam expansão de 12 por cento e nosúltimos 12 meses, de 10,2 por cento. Em fevereiro sobre janeiro, apenas três dos dez setores decomércio pesquisados tiveram queda nas vendas: Artigosfarmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos(-2,8 por cento); Hipermercados, supermercados, produtosalimentícios, bebidas e fumo (-3,9 por cento); e Tecidos,vestuário e calçados (-4,0 por cento). Na comparação com fevereiro de 2007, todas as atividadescresceram em vendas, com destaque para o segmento deHipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas efumo, com avanço de 7,2 por cento. "Este desempenho foi motivado pelo aumento do poder decompra da população, decorrente não só do crescimento da massade salários como da expansão do crédito", segundo o IBGE. A pesquisa acrescentou que a receita nominal do comérciodeclinou 1,4 por cento em fevereiro sobre janeiro, mas subiu16,7 por cento na comparação anual. O IBGE informou que agora passar a divulgar todos os dadosdo comércio com ajuste sazonal. "Com o encerramento de 2007, obteve-se o número mínimo deobservações necessárias para se calcular a dessazonalização dasatividades até então não contempladas. Dessa forma, em 2008passa-se a divulgar os resultados com ajuste sazonal para todasas atividades que compõem o varejo e o varejo ampliado", disse. (Reportagem de Rodrigo Viga Gaier; Edição de VanessaStelzer)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.