Vendas no Dia dos Pais devem crescer entre 6% e 7%, diz ACSP

Pesquisa ACSP/Ipsos mostra que roupas e calçados devem puxar compras para a data entre as classes A e B

Rodrigo Petry, da Agência Estado,

15 de julho de 2008 | 17h02

As vendas no Dia dos Pais devem crescer entre 6% e 7% neste ano sobre a mesma data de 2007. A expectativa é do economista da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Emílio Alfieri, para quem as vendas devem ser impulsionadas por roupas e calçados. "Os consumidores optam por presentes de menor valor no Dia dos Pais", diz Alfieri. Roupas e calçados serão a opção de compra de 29% dos consumidores das classes A e B, de acordo com a pesquisa de intenção de compras para o Dia dos Pais ACSP/Ipsos. Entre as classes C e D, o porcentual cai para 25% e 18%, respectivamente. As vendas de CDs aparecem logo depois entre as intenções de compras, principalmente nas classes C e D. Em média a intenção é gastar até R$ 23 com os presentes, mostra a pesquisa. A previsão de gasto de consumidores de 16 a 24 anos é de até R$ 42; enquanto na faixa de 25 a 34 anos o valor cai para R$ 33. Já entre os consumidores mais velhos, com idade entre 34 e 44 anos e 45 e 59 anos os valores médios são, respectivamente, de R$ 18 e R$ 11. O Dia dos Pais, diz Alfieri, é a quinta melhor data para o comércio, atrás do Natal, Dia das Mães, dos Namorados e das Crianças. "Não podemos comparar com o Dia das Mães, quando os filhos costumam dar um eletrodoméstico ou móveis, que em média custam mais caro. No Dia dos Pais geralmente o presente se resume a uma lembrança pessoal", explica. A pesquisa mostra também que neste Dia dos Pais deverão prevalecer os pagamentos à vista para bens de menor valor e a prazo para bens como TVs, celulares, DVDs, entre outros eletroeletrônicos. Para roupas, calçados e acessórios como relógios, perfumes, livros etc, a compra à vista foi citada por 85% dos entrevistados. Foram feitas mil entrevistas em 70 cidades, entre elas nove em regiões metropolitanas. A coleta foi entre 21 de junho e 2 de julho. A margem de erro é de três pontos percentuais.

Mais conteúdo sobre:
Dia dos PaisComércio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.