Vendas no varejo brasileiro têm melhor 1º trimestre da série

Ante o mesmo período de 2007, vendas cresceram 12%; já em março, houve avanço de 11,4% sobre igual mês

Reuters e Agência Estado,

15 de maio de 2008 | 09h12

As vendas do comércio varejista brasileiro tiveram em 2008 o melhor primeiro trimestre da série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), iniciada em 2001, com alta de 12% em relação ao mesmo período do ano passado. Em março, houve avanço de 1,8% sobre fevereiro e de 11,4% ante igual mês de 2007. Economistas esperavam para março um aumento de 2,1% mês a mês e uma alta de 10,8% na comparação anual.   O crescimento do primeiro trimestre foi puxado pelos setores Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo que evolui (alta de 8,9%) e Móveis e eletrodomésticos (+17,3%). "Esses resultados expressam uma recuperação no ritmo de vendas, após a queda no mês anterior (de 0,7% mês a mês)", disse o IBGE em nota.   Já em março na comparação com fevereiro, houve expansão das vendas em sete das dez atividades pesquisadas, com destaque para Tecidos, vestuário e calçados (+6,1%) e Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (+3,3%) - este último em razão da Páscoa.   As atividades que registraram queda em relação a fevereiro foram as de livros, jornais, revistas e papelaria (-1,3%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (-2,1%) e equipamentos e material de escritório, informática e comunicação (-5,6%).   Em março, a receita nominal do comércio varejista aumentou 2,3% em relação a fevereiro e 16% ante março do ano passado. No primeiro trimestre, a elevação da receita nominal foi de 16,6% e nos doze meses encerrados em março foi de 13,5%. Nos 12 meses até março, as vendas alcançam crescimento de 10,2%. O IBGE reviu para cima a variação das vendas do varejo em fevereiro, ante mesmo mês de 2007, que passou de 12,2% para 12,8%.     Comércio varejista ampliado     Segundo o IBGE, houve um aumento de 1,9% em março, ante fevereiro, nas vendas do que chama de "comércio varejista ampliado", que inclui veículos, motos, partes e peças e material de constrição. Na comparação com março do ano passado, essas vendas cresceram 16,1%. No primeiro trimestre deste ano, o comercio varejista ampliado mostrou alta de 19% e no acumulado de 12 meses até março, de 16,9%.   O coordenador de serviços e comércio do IBGE, Nilo Lopes de Macedo, explicou que os dois setores adicionais nesse conceito de vendas incluem uma parte de atacado, ao contrário dos demais, que se caracterizam como típicos de consumo das famílias.

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEVarejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.