Vendas no varejo devem se recuperar a partir deste mês, diz IBGE

As vendas do varejo, que já apresentam queda há três meses consecutivos, deverão permanecer negativas em março, recuperando-se a partir de abril, segundo avalia o técnico do departamento de comércio do IBGE Nilo Lopes. Em fevereiro a queda foi de 1,98%ante igual mês do ano passado, segundo divulgou hoje o instituto. Segundo ele, o quadro do varejo permanece inalterado porque prossegue uma "situação macroeconômica complicada", com alta dos juros, renda retraída, desemprego e inflação elevados. Sua expectativa é que a recente queda na cotação do dólar e a estabilidade no preço do petróleo possam modificar esse quadro a partir de abril, revertendo o sinal negativo.Em março, Lopes acredita que ainda ocorrerá uma queda significativa nas vendas, especialmente pelo chamado efeito calendário, já que o carnaval neste ano ocorreu em março. Esse efeito, segundo o técnico, ajudou a amortecer a queda nas vendas em fevereiro, que para ele teria sido ainda maior caso o carnaval tivesse ocorrido no mês. Remarcações Nilo Lopes disse que os resultados do desempenho do varejo em fevereiro mostram que há retração de consumo no País, mas o setor tem conseguido "manter suas margens através das remarcações de preços". Exemplo disso, segundo ele, é que enquanto as vendas do setor caíram 1,98% em fevereiro, a receita nominal (sem descontar a inflação), aumentou 19,36% no período. Lopes explicou que como o comércio precisa garantir recursos para a reposição de estoques, muitas vezes precisa antecipar reajustes aos definidos no atacado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.