Vendas no varejo nos EUA sobem mais que o previsto

As vendas no varejo subiram 1,4% em julho, superando as estimativas de elevação de 1%. Os dados de junho e maio foram revisados em alta, para elevação de 0,9% e 0,5%, respectivamente. A aceleração nas vendas em julho foi atribuída a um consumo maior de automóveis, artigos para casa e roupas. As vendas de automóveis cresceram 3,2% em julho. Excluindo o setor de automóveis, as vendas subiram 0,8% em julho. Excluindo gasolina e automóveis, as vendas avançaram 0,7% - esta avaliação é preferida pelos economistas. Em relação a julho do ano passado, as vendas cresceram 5,6%. Estoques das empresasAs empresas norte-americanas decidiram acumular estoques em junho, mostrando um comportamento diferente do esperado pelo mercado. O Departamento do Comércio informou que houve um aumento de 0,1% dos estoques das empresas, para um nível ajustado sazonalmente de US$ 1,17 trilhão, contrariando expectativas de que ocorresse um declínio de 0,1%. O dado de maio, no entanto, foi revisado em baixa, mostrando queda de 0,3% dos estoques, ante a estimativa anterior que havia apontado diminuição de 0,2%. As vendas das empresas aumentaram 1,1% em junho, após terem crescido 0,2% no mês anterior. A proporção de estoques-vendas caiu para 1,38 em junho, de 1,40 em maio. Esse dado reflete o tempo, em meses, que as empresas levariam para esgotarem seus estoques. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.