Vendas no varejo são o destaque da agenda econômica

O resultado das vendas no varejo é o maior destaque entre os indicadores previstos para serem anunciados na próxima semana, reduzida pelo feriado nacional da Proclamação da República, na quinta-feira (15). Apesar do resultado das vendas ser ainda do mês de setembro, o mercado financeiro está ávido para saber se a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) confirmará mais uma vez o aumento da demanda, que reflete o maior aquecimento da atividade econômica do País, amparada no cenário de inflação controlada, aumento da renda e do crédito para a população e menor taxa de juros. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciará o resultado na quarta-feira (14). No levantamento de agosto, houve expansão de 0,70% nas vendas sobre julho de 2007 e crescimento de 9,90% ante agosto de 2006.Se mostrar um novo aumento na margem, será o nono mês consecutivo. A última vez que a PMC mostrou declínio nesta comparação foi em dezembro de 2006, quando as vendas caíram 0,10% sobre novembro - dado revisto pelo IBGE que, anteriormente, havia divulgado baixa de 0,50%. Em 2007, até o mês de agosto, as negociações verificadas no comércio varejista do País acumularam um crescimento de 9,70%.InflaçãoAlém da pesquisa do IBGE, a semana conta com a divulgação de três indicadores de inflação: a primeira prévia do IGP-M de novembro, o IPC-Fipe da primeira quadrissemana do mesmo mês e o IGP-10 de novembro. Os dois primeiros serão anunciados logo na segunda-feira e o terceiro será conhecido na quarta-feira.Para o IGP-M, a expectativa é que o indicador mostre continuidade na desaceleração dos preços agrícolas do atacado que, após provocarem entre agosto e outubro a elevação do índice para taxas nos níveis acima de 1,00%, começam a contribuir para que os números sejam menos pressionados. Em outubro, o IGP-M subiu 0,84% na primeira prévia; 0,86% na segunda; e chegou ao final do mês com variação de 1,05% ante 1,29% de setembro.Quanto ao IPC da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a maioria dos economistas e o próprio coordenador do indicador, Márcio Nakane, não acreditam numa taxa tão baixa quanto a que foi anunciada no final de outubro, de 0,08%. Para novembro, há uma expectativa de que a queda do preço do leite longa vida não seja tão intensa como a do mês passado, que o preço das carnes sofra alguma influência do período sazonal e também que o alívio na taxa de energia elétrica seja um pouco menor. Tanto que a projeção para de Nakane para o final do mês é de uma taxa de 0,21%, considerada por ele como um resultado ainda bastante tranqüilo para a inflação paulistana.Para o IGP-10 de novembro, que a FGV divulga na véspera do feriado, a análise é bastante semelhante à realizada para o IGP-M. Depois de sair de uma variação de 0,64% em agosto e subir para 1,47% em setembro, o índice desacelerou para 1,07% em outubro. Para o mês seguinte, as estimativas são de um número menor.Revisão Entre os indicadores, a semana traz ainda, na segunda-feira, o tradicional relatório semanal Focus, documento produzido pelo Banco Central com base nas expectativas de cerca de 100 instituições financeiras para os indicadores econômicos. Após o IPCA de outubro, divulgado na quarta-feira (7), vir um pouco mais salgado que o aguardado pelo mercado financeiro, com uma alta de 0,30% ante variação de 0,18% de setembro, os analistas do mercado dão como certa uma ligeira elevação na expectativa do indicador acumulado do final de 2007, atualmente com uma mediana de 3,83%.Também no primeiro dia útil da semana, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) trará os resultados da balança comercial da segunda semana de novembro. Na primeira semana, que contou com apenas um dia útil, o superávit foi de US$ 269 milhões. As exportações somaram US$ 914 milhões e as importações foram de US$ 645 milhões. O resultado acumulado do ano passou para US$ 34,645 bilhões, com exportações de US$ 133,282 bilhões (média diária de US$ 631,7 milhões) e importações de US$ 98,637 bilhões (média diária de US$ 467,5 milhões).Nos Estados Unidos, os destaques entre os indicadores deverão ser os índices de preços ao produtor (PPI), na quinta-feira, ao consumidor (CPI), na quinta-feira, e a produção industrial, na sexta-feira. O informe semanal do Departamento de Energia (DoE) sobre os estuques norte-americanos de petróleo deverá sair na quinta-feira, e não na quarta, como habitualmente, por causa do feriado do Dia do Veterano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.