Vendas no varejo têm, em agosto, primeira queda no ano

As vendas do comércio varejista caíram 0,38% em agosto ante julho, segundo divulgou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou dentro das expectativas colhidas pelos analistas ouvidos pela Agência Estado, que apontavam para um resultado de queda entre -1,50% e -0,30%. A queda foi a primeira verificada na comparação com mês anterior dos últimos seis meses.Na comparação com agosto do ano passado, houve aumento de 6,47% nas vendas, na 21ª expansão consecutiva nessa base de comparação. O resultado também ficou dentro das previsões (um crescimento entre 4% e 7%).O técnico do IBGE Reinaldo Pereira disse que o recuo pode estar relacionado a uma acomodação do crédito. Ante mês anterior, entre as atividades pesquisadas pelo IBGE nessa base de comparação, houve queda em tecidos, vestuário e calçados (-2,37%), enquanto o melhor desempenho foi registrado em veículos e motos (1,82%).Pereira disse que o aumento na comparação com agosto do ano passado ocorreu sob impacto ainda do crédito - mesmo que tenha ocorrido uma acomodação nessa influência ante mês anterior - e recuperação do poder de compra dos consumidores com redução de preço de alimentos e queda da inflação. O crescimento ante agosto do ano passado foi puxado, mais uma vez, por móveis e eletrodomésticos (16,61%). No ano, as vendas acumulam alta de 4,86% e de 6,3% em 12 meses.Tocantins registrou maior aumentoAs vendas do comércio varejista em São Paulo cresceram 4,10% em agosto ante agosto do ano passado, inferior à média nacional (6,47%), segundo divulgou o IBGE. O levantamento regional não inclui comparações com mês anterior. No ano, as vendas do varejo no Estado acumulam aumento de 2,06% e em 12 meses, de 4,34%.O maior aumento nas vendas em agosto, entre os Estados, ocorreu no Tocantins (49,40%), enquanto o pior desempenho foi registrado no Rio Grande do Sul (-4,45%). A pesquisa abrange 27 unidades da federação e, desse total, 24 registraram crescimento das vendas do comércio em agosto, ante agosto de 2004.Apesar da forte expansão no Tocantins, os maiores impactos positivos sobre as vendas na média nacional foram dados por São Paulo e Rio de Janeiro (4,46%) que, apesar de apresentarem expansão em menor magnitude, têm maior peso na pesquisa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.