Vendas no varejo têm o melhor janeiro em sete anos, diz IBGE

Na comparação com o mesmo mês de 2007, alta foi de 11,8% ; ante dezembro, vendas cresceram 1,8%

Agência Estado e Reuters,

14 de março de 2008 | 09h08

As vendas do comércio varejista cresceram 11,8% em janeiro ante o mesmo período do ano passado, segundo divulgou nesta sexta-feira, 14, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Trata-se do melhor resultado para os meses de janeiro desde o início da série histórica em 2001. Na comparação com dezembro de 2007, as vendas cresceram 1,8%, na série com ajuste sazonal. Em 12 meses, as vendas acumulam alta de 10% até janeiro.   Os resultados vieram dentro das estimativas dos analistas ouvidos pela Agência Estado, tanto na comparação com dezembro de 2007 (0,70% a 2,20%), superando a mediana projetada de 1,45%; como no confronto com janeiro do ano passado (9,50% e 12,00%), também superior que a mediana de 10,70%.   Todas as atividades do comércio varejista registraram expansão nas vendas em janeiro ante igual mês do ano passado, segundo o IBGE. O principal impacto no aumento de 11,8% apurado no mês foi dado por hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (grupo que mais pesa na pesquisa, com cerca de 30% do total e aumento 8,4% em janeiro).   Os outros setores que impactaram no crescimento das vendas ante igual mês de 2007 foram, nessa ordem: móveis e eletrodomésticos ( 16,0%); outros artigos de uso pessoal e doméstico ( 29,6%); tecidos, vestuário e calçados ( 15,4%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (16,2%); combustíveis e lubrificantes (3,1%); equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (24,7%); e livros, jornais, revistas e papelaria (8,1%).   Houve expansões significativas também em veículos e motos, partes e peças (20,9%) e material de construção (9,6%), mas essas duas atividades são pesquisadas a parte e não entram no cálculo total da pesquisa.   Entre as dez atividades do varejo pesquisadas pelo IBGE ante dezembro de 2007, na série com ajuste sazonal, nove registraram expansão nas vendas em janeiro: móveis e eletrodomésticos (9,8%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (7,7%); tecidos, vestuário e calçados (3,7%); veículos e motos, partes e peças (2,6%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (2,4%); livros, jornais, revistas e papelaria (1,8%); hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,1%); combustíveis e lubrificantes (0,9%); material de construção (0,2%). O único resultado negativo ficou com material para escritório, informática e comunicação (-4,1%).   O IBGE também revisou os resultados ante mês anterior, na série com ajuste sazonal, das vendas do comércio varejista de dezembro ante novembro (de 0,0 para 0,4%) e de novembro ante outubro (1,7% para 1,9%). O técnico da coordenação de serviços e comércio do instituto, Reinaldo Pereira, disse que a revisão reflete exclusivamente a introdução de novos dados na série com ajuste.   Pereira explicou ainda que, a partir de janeiro, o instituto calcula os resultados na série com ajuste para todas as atividades do varejo, o que não ocorria até dezembro. Segundo ele, com o fechamento de 2007 há informações suficientes para possibilitar o ajuste em todas as atividades pesquisadas.

Tudo o que sabemos sobre:
Comércio varejistaIBGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.