Vendas nos supermercados crescem 3% em setembro

As grandes redes supermercadistas brasileiras registraram em setembro um acréscimo de vendas de 3% em relação a setembro do ano passado, em termos reais. As promoções realizadas pelas maiores redes nas campanhas de aniversário, associadas à liberação dos recursos do FGTS aos consumidores, colaboraram para a reação dos supermercados. Além disso, a base de comparação, setembro de 2001, esteve comprometida pela situação econômica da época, o que ajuda a melhorar os indicadores.Com esta variação positiva, a perda do setor neste ano reduziu-se mais um pouco. No acumulado do ano, a queda de vendas era de 0,78% até agosto. Agora passou para -0,36% em relação ao mesmo período do ano passado. A expectativa da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) é de que, ao final de 2002, o faturamento registre um acréscimo de 1%. Em relação a agosto, em razão principalmente do menor número de dias úteis, as vendas recuaram 1,78%, em valores já deflacionados pelo IPCA.PreçosA cesta de produtos medida pela Abras registrou em setembro um aumento de preço de 2,18% em relação a agosto e de 2,85% sobre setembro de 2001, em valores já deflacionados. O preço médio do conjunto de 35 produtos que fazem parte da cesta foi de R$ 154,07, contra R$ 149,71 de agosto. As maiores altas foram do tomate (14,99%), óleo de soja (17,55%) e farinha de trigo (13,57%). As maiores quedas foram da batata (-18,75%), cebola (-7,87%) e farinha de mandioca (- 7,22%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.