Venezuela assinará adesão ao Mercosul em julho

A Venezuela assinará em 4 de julho o protocolo deadesão como membro pleno do Mercado Comum do Sul (Mercosul), com a presença de "pelo menos quatro autoridades sul-americanas", disse neste sábado, 24, o presidente Hugo Chávez."No próximo dia 4 de julho teremos a visita do presidente do Brasil, (Luiz Inácio) Lula da Silva, do presidente da Argentina, Néstor Kirchner, do presidente do Paraguai, Nicanor Duarte, e do presidente do Uruguai, Tabaré Vazquez", afirmou Chávez ao encerrar o desfile de comemoração da Batalha de Carabobo, que selou aindependência do país em 1821.Esta semana, o diplomata argentino Carlos Alvarez, titular da comissão de representantes permanentes do Mercosul, declarou em Buenos Aires que a presença de Fidel Castro na reunião "é muito possível", já que tanto Cuba como Paquistão e Israel têm em trâmite tratados de livre comércio com o Mercosul. Chávez não fez comentários sobre a presença do presidente cubano, um de seus aliados mais próximos.Enquanto a Venezuela se aproxima do Mercosul, Chávez anunciou em abril sua decisão de deixar a Comunidade Andina de Nações para proteger a economia do país de uma possível invasão de produtos subsidiados norte-americanos que entrariam pelos acordos de livre comércio firmados entre os Estados Unidos, Peru e Colômbia.Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai são membros fundadores do Mercosul, enquanto Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru mantêm acordos de complementação com o bloco.A Venezuela se tornará "Estado integrante" do Mercosul assim que o protocolo seja ratificado pelos Congressos dos membros fundadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.