Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Venezuela: ativos da Exxon valem menos de US$ 1 bi

O ministro de Energia e Petróleo da Venezuela, Rafael Ramirez, avaliou os antigos ativos da ExxonMobil no país em menos de US$ 1 bilhão, contestando a compensação multibilionária que a companhia reivindica por um projeto de petróleo que foi nacionalizado. "Os ativos totais são menos de US$ 1 bilhão", disse Ramirez.A Exxon e a Venezuela estão envolvidas numa acirrada disputa judicial que tem origem na decisão do governo venezuelano de nacionalizar, no ano passado, um projeto de desenvolvimento do petróleo pesado da Bacia do Orinoco.A gigante petrolífera conseguiu uma ordem de congelamento de ativos internacionais da estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA), num total de US$ 12 bilhões, a fim de garantir o pagamento da compensação caso a Exxon vença uma arbitragem internacional contra o governo da Venezuela.Ramirez disse também que o governo planeja processar a Exxon com base nas acusações de que a companhia ocultou a produção de centenas de milhares de barris de petróleo. A acusação surgiu no final de semana durante a apresentação semanal de televisão do presidente Hugo Chávez. O ministro não detalhou as ações legais que a Venezuela planeja tomar contra a Exxon pelo suposto roubo.Ramirez disse que a PDVSA tem conseguido chegar a um acordo com várias companhias que foram afetadas pela nacionalização. "Apenas a Exxon mantém sua agressão contra nossa soberania, uma posição na qual eles estão isolados", disse Ramirez. Ramirez também anunciou que na próxima reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), em março, a Venezuela defenderá um corte na produção. No ano passado, segundo o ministro, a receita da Venezuela com o petróleo chegou a US$ 42,3 bilhões. As informações são da Dow Jones.

HÉLIO BARBOZA, Agencia Estado

19 de fevereiro de 2008 | 17h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.