Venezuela ordena intervenção regulatória em quatro bancos

Governo afirma que as instituições financeiras não explicaram de forma apropriada aumentos no capital

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

20 de novembro de 2009 | 11h24

O governo da Venezuela ordenou intervenção regulatória de quatro bancos pequenos após ter descoberto violações em algumas operações recentes. Agora, o governo vai diretamente supervisionar as operações do Banco Confederado, do Banco Canarias, do Banco Provivienda e do Bolivar Banco.

 

"É uma intervenção de porta aberta", disse o ministro das Finanças, Ali Rodriguez. "Os bancos vão continuar operando normalmente", acrescentou ele.

 

Rodriguez disse que os bancos não explicaram de forma apropriada aumentos no capital, não atenderam cotas impostas para empréstimos para setores econômicos específicos e não cumpriram alguns indicadores bancários.

 

A intervenção parece ter sido provocada por um processo de fusão entre alguns bancos sem aprovação do governo. O superintendente bancário Edgar Hernandez disse que o Banco Provivienda comprou recentemente o Banco Canarias por meio de uma operação de troca de ações que não era permitida pelo governo.

 

Rodriguez e Hernandez, durante conferência conjunta, tentaram assegurar os clientes dos bancos dizendo que as poupanças estão seguras e que os bancos e todas as agências continuarão operando normalmente. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Venezuelabancosintervençao

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.