Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Verba da capitalização da Petrobrás financiará fornecedor

Parceiros que tiverem contratos de longo prazo com a companhia serão os principais beneficiados, diz diretor

KELLY LIMA, Agencia Estado

23 de novembro de 2009 | 11h11

A Petrobrás vai começar a financiar seus fornecedores com os recursos que obtiver a partir da sua capitalização. O diretor financeiro e de Relações com Investidores da Petrobras, Almir Barbassa, afirma que a companhia já está estudando junto a alguns bancos modelos de financiamento que poderão ser adotados não somente para o financiamento de um fornecedor diretamente ligado a ela, mas também os de terceira ou quarta ponta. "Nosso objetivo é que toda a cadeia de fornecedores tenha condições de crescer junto com a Petrobras", disse, em palestra durante seminário sobre o pré-sal, na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan).

Segundo ele, os fornecedores que tiverem contratos de longo prazo com a companhia serão os principais beneficiados. "Quanto maior o prazo do contrato, maior o valor a ser financiado e melhores as condições", comentou. O diretor ressaltou que está confiante de que todo o processo da cessão onerosa dos cinco bilhões de barris de petróleo do governo e da capitalização propriamente dita esteja concluído até o final do primeiro semestre de 2010. Tão logo isso ocorra, disse, a Petrobrás poderá começar a realizar o financiamento da cadeia produtiva.

Ele negou que a companhia vá agir como um banco. "Nós apenas vamos emprestar os recursos, mas a operação toda vai correr por meio dos bancos", disse. Segundo ele, os modelos de financiamento que estão sendo testados junto às instituições financeiras estão no momento recebendo "últimos ajustes". Barbassa lembrou ainda que estes financiamentos feitos pela companhia serão contabilizados como dívida pela companhia e por isso a capitalização será bem-vinda. "Como isso vai entrar como dívida, é bom que o valor da companhia seja maior, para permitir maior alavancagem", disse. Hoje, a Petrobrás está com uma alavancagem de 28%, a mesma que no início do ano, já que não utilizou os recursos obtidos junto ao BNDES e ao Banco de Desenvolvimento Chinês.

China

Em entrevista coletiva, o diretor também destacou que a companhia deverá realizar no primeiro trimestre de 2010 um "road show" pela China para apresentar o plano de investimentos da companhia, que deverá ser revisado em janeiro. Segundo o executivo, a ideia é apresentar os principais projetos a fornecedores chineses que tenham interesse em se instalar no País. A apresentação será nos mesmos moldes de um outro "road show realizado" pela companhia em 2008 voltado para a indústria naval, em Cingapura e Coreia do Sul.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoPetrobrascapitalização

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.