Vestuário tem maior variação de preços entre 9 grupos

A inflação dos produtos não alimentícios no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15) desacelerou levemente entre outubro e novembro (de 0,39% para 0,37%), segundo informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mas isso não impediu altas mais intensas de preços neste segmento. Neste âmbito, destaca-se a aceleração de preços de Vestuário (de 0,38% para 0,87%) no período, a maior variação de preços em novembro entre os nove grupos pesquisados para cálculo do indicador.

ALESSANDRA SARAIVA, Agencia Estado

23 de novembro de 2011 | 09h45

Houve ainda inflação mais intensa em Despesas Pessoais (de 0,22% para 0,82%), devido à aceleração de preços no item empregados domésticos (de 0,10% para 1,35%). Ainda em Despesas Pessoais, destacam-se aumentos mais intensos nos preços de manicure (de 1,13% para 1,40%) e cabeleireiro (de 0,16% para 1,54%).

Outro ponto ressaltado pelo IBGE foi o término de estabilidade nos preços no grupo Comunicação (de 0,0% para 0,36%), devido à aceleração de preços em serviços de telefonia celular (de 0,07% para 1,83%).

Entre os oito grupos não alimentícios pesquisados pelo instituto, mais dois tiveram acréscimos em suas taxas de variação de preços. É o caso de Artigos de Residência (de -0,57% para 0,08%) e Educação (de 0,02% para 0,03%). Houve desaceleração nas seguintes classes de despesa: Habitação (de 0,85% para 0,40%); Transportes (de 0,57% para 0,02%); e Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,47% para 0,46%).

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoIPCA-15IBGEvestuário

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.