Via portos, exportação brasileira para EUA e Japão cai no 1º semestre

Minério de ferro foi o produto mais transportado no semestre encerrado em junho; movimentação geral nos portos e terminais privativos cresceu 5,18% no período

Nivaldo Souza, Agência Estado

14 de agosto de 2014 | 12h39

O volume de carga enviada pelos portos e terminais privativos brasileiros para tradicionais clientes de matérias-primas do País recuou no semestre.

O volume enviado para os Estados Unidos caiu 5% no primeiro semestre de 2014, na comparação com o mesmo período de 2013, somando 10,8 milhões de toneladas. Para o Japão, o volume caiu 8% entre os semestres, registrando 15 milhões de toneladas.

O Brasil também reduziu o volume de exportações para a Holanda (14%) e Coreia do Sul (9%). Na contramão, o País importou 28% menos produtos da Argentina e 20% da Espanha. Em compensação, as importações dos EUA cresceram 24%. Um alta significativa foi verificada também na corrente de comércio com a China, de onde o Brasil importou 31% mais e exportou em volume de carga 14% a mais que no primeiro semestre do ano passado.

No geral, a movimentação de carga nos portos e terminais portuários do País no primeiro semestre foi de 460,2 milhões de toneladas, conforme balanço apresentado nesta quinta-feira, 14, pela Agência Nacional de Transporte Aquaviário (Antaq). O volume movimentado teve alta de 5,18% em relação aos primeiros seis meses de 2013, quando os portos e terminais registraram 437,6 milhões de toneladas.

Segundo a agência, o Porto Santos, em São Paulo, registrou uma queda global de 2% no volume de carga movimentado entre janeiro e junho, apesar de ser o terminal que mais operou carga no semestre, com 44,1 milhões de toneladas.

O minério de ferro foi o produto mais transportado no semestre encerrado em junho, com 160,7 milhões de toneladas, seguido por combustíveis, óleos minerais e produtos (99,8 milhões) e contêineres (46,7 milhões).

Tudo o que sabemos sobre:
portosexportaçãoimportação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.