Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

entrevista

E-Investidor: "Juro baixo tira o dinheiro dos rentistas e leva para as empresas", diz CEO da Valora

Via Varejo traz executivo da dona do iFood para operação online

Companhia, que agora tem família Klein como principal acionista, renovou o corpo de executivos da dona da Casas Bahia

Fernando Scheller, O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2019 | 10h15

A Via Varejo – dona das marcas Ponto Frio e Casas Bahia – trouxe o executivo Helisson Lemos para assumir a operação de vice-presidente digital. O executivo estava desde 2017 como diretor de operações da Movile, empresa de tecnologia que opera aplicativos como iFood, Sympla e PlayKids

Durante a gestão do Grupo Pão de Açúcar na companhia, a operação online foi um dos grandes problemas da companhia. Com a criação da CNova, as vendas online e física chegaram a ser geridas separadamente, o que gerou uma série de problemas administrativos. A ideia foi descartada em 2016, dois anos após ser implantada, mas foi creditada por vários agentes de mercado como um dos grandes erros da gestão anterior.

Há cerca de 15 dias, a Via Varejo também anunciou a contratação de uma série de executivos para outras áreas. Entre os reforços que a companhia buscou está a executiva Ilca Sierra, que estava no Magazine havia quase dez anos e comandava a área de marketing multicanais da varejista. Ela ficará agora responsável pelo marketing da Via Varejo.

Tirar a atual vantagem do Magazine Luiza no meio online será uma corrida ladeira acima. Enquanto 38% da receita do Magazine Luiza foram originados no meio online, a Via Varejo arrecadou 19% do que vendeu na internet.

Segundo dados do fim do ano passado, a Via Varejo ainda é uma empresa bem maior do que o Magazine Luiza, com receita bruta de mais de R$ 30 bilhões. No entanto, a companhia mostra um resultado líquido negativo e está bem distante em vendas pela internet.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.