Viagem de Lula ganha destaque na imprensa dos EUA

Nunca uma viagem internacional de um líder brasileiro recebeu a atenção, por parte da imprensa de língua inglesa que circula nos EUA, como a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à China. Da CNN ao New York Times, do Boston Globe ao Wall Street Journal e à revista The Economist, nos últimos dias praticamente todos os grandes veículos dedicaram bom espaço à viagem, que o próprio Lula apresentou como a mais importante da sua presidência.A cobertura é digna de nota porque, tradicionalmente, a grande imprensa americana ignora visitas de líderes do Brasil ao exterior, mesmo quando o destino é Washington. O foco das reportagens é a expansão das relações comerciais, uma esperança que, numa ironia da História, levou cerca de 400 empresários brasileiros a acompanhar um ex-líder sindical numa missão cujo principal objetivo é buscar oportunidades de negócios e capitais para investimentos num país nominalmente comunista.Por trás da atenção especial despertada pela viagem de Lula está não uma descoberta tardia da importância internacional do Brasil, mas a constatação de um fato que confirma o crescente impacto internacional da China. Em comentário publicado no último fim de semana, Richard Lapper, o editor do Financial Times para a América Latina, escreveu que a visita apresenta, nesse sentido, "um novo desafio para os Estados Unidos em seu próprio quintal. A ligação entre o Brasil e a China conecta os maiores mercados emergentes dos hemisférios ocidental e oriental".Na ChinaO jornal oficial em inglês China Daily trouxe nesta segunda-feira um suplemento especial de quatro páginas em comemoração aos 30 anos do estabelecimento das relações diplomáticas entre o Brasil e a China. O destaque foi para a mensagem pessoal enviada pelo presidente Lula aos chineses. Nela, o presidente Lula destaca o crescente comércio entre os dois países e os avanços nos intercâmbios tecnológicos e de infra-estrutura, bem como a convergência das posições diplomáticas sino-brasileiras nos diversos foros internacionais.Segundo a mensagem, o crescimento do comércio entre os dois países, em 2003, foi de 200% em relação ao ano 2000, movimentando US$ 7 bilhões. O texto também enfatiza o aumento de 74% no volume de transações comerciais no primeiro bimestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. O presidente também destaca a importância da China para o Brasil e os progressos nas negociações entre a China e o Mercosul, a fim de se estabelecer uma área de livre comércio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.