Vice de Obama diz que pacote econômico supera expectativas

Biden afirma que programa atingiu metas "antes de tempo e com menos dinheiro que o previsto"

EFE,

03 de setembro de 2009 | 16h15

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joseph Biden, disse nesta quinta-feira, 3, que o pacote econômico de US$ 787 bilhões lançado pelo Governo superou todas as expectativas e se tornou um dos motores da recuperação econômica no país.

 

Biden, que é o encarregado de coordenar as medidas de estímulo à economia, fez uma avaliação muito positiva do pacote, sancionado há cerca de 200 dias pelo presidente Barack Obama.

 

Em discurso na Brookings Institution, um centro de estudos de Washington, o vice-presidente afirmou que, até agora, o programa, de dois anos de duração, atingiu todas as metas a que se propunha, algumas delas "antes de tempo e com menos dinheiro que o previsto".

 

Entre os sucessos citados pela Casa Branca estão 500.000 novos pacientes atendidos em centros de saúde públicos o início de obras em mais de 2.200 estradas e quase 200 aeroportos.

 

O Governo lançou o plano, que inclui reduções de impostos, investimentos em infraestrutura e repasses de verba aos estados, confiante na capacidade dele de acabar com a recessão, embora vá gerar um déficit fiscal de cerca de US$ 1,6 bilhão este ano.

 

Segundo Biden, o pacote tem sido "um elemento incrivelmente importante para a recuperação da economia".

 

Os republicanos, porém, dizem que o programa é mais uma iniciativa dos democratas que promove o gasto desenfreado do dinheiro público.

 

Em seu discurso na Brookings Institution, Biden também falou do projeto de reforma da saúde, sobre o qual Obama falará num pronunciamento no Congresso na próxima quarta-feira.

 

O vice-presidente afirmou que as perspectivas de sucesso deste plano "são muito altas", já que os empresários e o setor de saúde em geral, com exceção das companhias de seguro, querem uma mudança.

 

"Vamos obter algo substancial, embora haverá muitos gritos e chiliques pelo caminho", declarou Biden.

Tudo o que sabemos sobre:
EUApacote econômico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.