Vice-líder do governo diz ser difícil mudar MP da Cofins

O deputado Professor Luizinho (PT-SP), um dos vice-líderes do governo na Câmara, afirmou nesta terça-feira que não ?há espaço? para atender os setores que estão criticando a medida provisória que acaba com a cumulatividade e aumenta a alíquota em 153% da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social. ?Eles não querem dar a parcela de contribuição que todos dão?, afirmou.Segundo Luizinho, é muito difícil atender o setor de serviços, de onde partem as principais críticas, porque é necessário manter o equilíbrio na arrecadação tributária. ?Se não faz esse equilíbrio, haverá redução da arrecadação, o que pode comprometer as contas do governo?, afirmou.Ele garante que a MP desonera o setor produtivo. ?O setor produtivo, principal responsável pela geração de empregos, terá redução?, afirmou. Nas conversas mantidas até agora entre os líderes governistas e o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, a orientação é manter a medida provisória sem alterações. Segundo o deputado, o governo já previa que haveria críticas do setor de serviços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.