Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Vice-presidente boliviano nomeia novo ministro de Hidrocarbonetos

O vice-presidente da Bolívia, Álvaro García Linera, nomeou Carlos Villegas Quiroga novo ministro de Hidrocarbonetos, em ato realizado nesta sexta-feira, 15, em La Paz. Na cerimônia, ele deu aviso às empresas multinacionais: o governo boliviano será "duro" na nacionalização do gás.Villegas, até então titular da pasta de Planejamento para o Desenvolvimento, substitui Andrés Soliz Rada, que renunciou por "razões pessoais".Para o lugar de Villegas, García Linera nomeou Hernando Larrázabal Córdoba, que era vice-ministro de Planejamento.Em seu discurso, o vice-presidente boliviano opinou que, com a saída de Soliz, termina uma etapa e começa uma nova. A nomeação das novas autoridades "fecha um círculo de gente comprometida" com a nacionalização das reservas de gás natural e petróleo, afirmou.García Linera acrescentou que "a nacionalização continua em andamento, e nada vai interromper seu processo". "Aconteça o que acontecer, a decisão é irreversível e o Governo vai cumprir o papel histórico de recuperar os recursos energéticos", prometeu.O presidente em exercício avisou às empresas que operam na Bolívia que as autoridades do governo socialista têm "ampla capacidade de negociação", que são "flexíveis e tolerantes", mas garantiu que também serão "intransigentes quando for necessário".Soliz deixou o cargo um dia depois de García Linera suspender uma resolução ministerial que dava à estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) o controle absoluto da comercialização de combustíveis líquidos.A decisão, que afetava os negócios da Petrobras, foi criticada pelo governo brasileiro, que chegou a ameaçar com medidas duras se a Bolívia mantivesse a sua posição.O vice-presidente boliviano comentou que o "congelamento" da resolução dava "sinais para negociar", mas ressaltou que o Governo "será duro se não o decreto de nacionalização não for obedecido".Ele garantiu à população que "as reservas serão dos bolivianos e nunca mais ninguém fará retroceder o processo de recuperação total das riquezas naturais" do país.O novo ministro de Hidrocarbonetos confirmou que na segunda-feira continuarão as negociações com as petrolíferas, como haviam sido programadas por Soliz. Primeiro, ele se reunirá com os executivos da empresa Andina, filial da hispano-argentina Repsol YPF.A renúncia de Soliz e a posse de Villegas é a primeira mudança importante no gabinete de ministros de Morales, que se encontra em Cuba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.