Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

‘Viciado em pornografia’ quer indenização da Apple

Ex-advogado diz que empresa é responsável por ‘concorrência desleal’ entre atrizes pornôs e sua ex-esposa

16 de julho de 2013 | 13h56

SÃO PAULO - Chris Sevier, de 36 anos, morador do Tennessee, nos Estados Unidos, está processando a Apple com a alegação de que a gigante de tecnologia é responsável pelo seu vício em pornografia

Ele argumenta na ação judicial que, até comprar um MacBook, nunca tinha visto pornografia de qualquer tipo. E diz que o vício começou quando ele acidentalmente trocou letra 'a' pelo 'u' ao digitar a palavra Facebook.

Abandonado pela esposa e filho, o ex-advogado alega que a empresa deveria ter vendido o computador com um filtro acionado que pudesse evitar sua desgraça.

Na denúncia de 50 páginas, o americano afirma que a Apple não está preocupada com o bem-estar das crianças e nem em promover os valores pró-americanos, e que ela deveria vender computadores com dispositivos em 'modo de segurança' para filtrar conteúdo pornográfico.

Segundo o autor, a Apple permitiu a "concorrência desleal" entre atrizes pornôs e sua esposa. As fotos e vídeos pornográficos, segundo ele, mexeram com a sua "sensibilidade biológica masculina" e ele começou a preferir as imagens na tela à própria esposa, o que a levou a sair de casa.

O americano pede indenização da Apple, mas diz que aceita desistir do processo se a gigante de computadores concordar em vender dispositivos com um "modo de segurança".

O autor incluiu na ação um link para uma música eletrônica que publicou no site Youtube (Zedd do "Shave It Up"), o que levou o site Intearnational Business Times a cogitar que a sua ação é na verdade uma ação promocional para promover seu trabalho musical.

O portal Huffington Post cita que a carteira de advogado de Sevier para praticar a lei foi desabilitada em dezembro de 2011. A Apple não se manifestou.

Tudo o que sabemos sobre:
Applepornografiavício

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.