Vietnã: quatro morreram em protestos, diz empresa

A China Metallurgical Group informou nesta terça-feira que quatro de seus trabalhadores morreram na semana passada em motins no Vietnã desencadeados pela implantação de uma plataforma de petróleo chinesa em um território em disputa entre os dois países.

AE, Agencia Estado

20 de maio de 2014 | 11h49

A empresa afirmou em um comunicado que outros 126 trabalhadores tiveram ferimentos, incluindo 23 que estão em estado grave, na violência que irrompeu em 14 de maio em Ha Tinh, onde a companhia está construindo uma usina.

Não houve comentários imediatos dos governos chinês e vietnamita, que anteriormente haviam relatado duas mortes. A declaração da empresa, que foi arquivada na Bolsa de Valores de Xangai, não identificou as vítimas ou suas nacionalidades. A companhia disse que o teste de DNA está sendo usado para identificar dois dos mortos e que a maioria de seus funcionários foram retirados do Vietnã após a violência.

A violência no Vietnã explodiu no início do mês quando iniciaram os protestos contra empresas chinesas por conta da instalação de uma plataforma de petróleo em um território do Mar da China que é alvo de disputa entre Hanói e Pequim.

O Vietnã tenta paralisar a implementação da plataforma de petróleo da China National Offshore, cerca de 130 milhas náuticas da costa do Vietnã. O país alega que a estrutura está dentro da sua "zona econômica exclusiva", que foi definida pela Organização das Nações Unidas (ONU). Os protestos tomaram conta do país e o incidente de Ha Tinh foi o primeiro com vítimas fatais. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
VietnãprotestosChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.