Vinci Partners coloca à venda controle do Grupo Austral

Grupo, formado por uma seguradora e uma resseguradora, tem entre os interessados a suíça Swiss Re e a francesa Axa

O Estado de S. Paulo

23 de dezembro de 2015 | 05h00

A Vinci Partners, com R$ 20 bilhões em ativos sob gestão, colocou à venda o controle do Grupo Austral, formado por uma seguradora e uma resseguradora, segundo apurou o Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado. A americana XL Group estaria entre uma das potenciais compradoras ao lado de outras multinacionais, como a suíça Swiss Re, a americana Ace e a francesa Axa.

O negócio vem sendo ofertado nos últimos meses, mas, segundo fontes, teria sido colocado oficialmente à venda na semana passada. O assessor financeiro da operação, conforme as mesmas fontes, seria o JPMorgan. “A XL está bem posicionada para levar e tem operação bem complementar à da Austral”, diz uma fonte de mercado.

A iniciativa da Vinci de vender sua operação de seguros e resseguros, segundo executivos, está em linha com o projeto original do investimento, ou seja, de desinvestir após estar maduro, seguindo o prumo natural das alocações feitas por fundos de private equity. Esses investidores compram participações em empresas para vender, no futuro, com lucro.

Além disso, também pesa, de acordo com uma fonte, a necessidade de compensar negócios que não vão tão bem. É o caso da PDG, que está reestruturando dívidas junto aos credores. Até mesmo porque a Vinci tem prazo máximo de até oito anos para desinvestir a Austral. “A Austral se beneficiou bastante de todas as empresas que a Vinci tem relacionamento e que privilegiavam o grupo para a contratação de seguros e resseguros”, acrescenta a fonte, citando a Triunfo como exemplo.

Trajetória. Fundada pelos sócios da Vinci Partners, em 2010, a seguradora tem foco nos ramos de seguro de garantia e riscos de engenharia. Já a Austral Resseguradora era a terceira maior nesta modalidade até setembro.

A Vinci tem cerca de 80% do Grupo Austral e outros 19,5% foram vendidos ao braço financeiro do Banco Mundial, o International Finance Corporation (IFC), em 2014. O presidente de uma resseguradora diz que, na época, a Vinci já obteve um sobrepreço de 50%. A transação foi avaliada em R$ 80 milhões.

O Grupo Vinci Partners foi fundado em 2009 por ex-sócios do Pactual, entre eles o ex-banqueiro Gilberto Sayão. Além da Austral, o portfólio da Vinci inclui nomes como Los Grobo, maior produtora de grãos e fornecedora de serviços agrícolas na América do Sul, Burger King, e a locadora de veículos Unidas.

Procuradas, a Vinci e a Austral não comentaram o assunto. O JPMorgan não retornou até o fechamento do mercado. As demais seguradoras citadas também não comentaram. / ALINE BRONZATI 

Mais conteúdo sobre:
vinci partnersgrupo austral

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.