Vinhos mais caros têm a China como principal destino

O vinho valorizado e caro segue o caminho da China, onde, nos últimos anos, grandes redes hoteleiras globais estão montando suas adegas. No imenso país não há tradição de consumo. Mas também por lá, como aponta Ciro Lilla, da Mistral, poderá vir a contrapartida, já que eles estão investindo em produção.

, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2010 | 00h00

Por enquanto, a China ainda mantém o preço dos vinhos de safras nobres nas alturas. "Quero saber o que vai acontecer quando as adegas estiverem prontas", diz Lilla.

No Brasil, a expansão do mercado de vinhos mais caros depende diretamente do aumento do consumo per capita, que ainda é de dois litros por pessoa por ano, Para comparação, na Argentina, Portugal ou França, gira em torno de 40 litros por pessoa por ano. Rodrigo Adura, diretor da rede varejista Pão de Açúcar, vê com otimismo essa situação, já que suas vendas na categoria aumentam na casa de dois dígitos nos últimos cinco anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.