Vinte minutos para 'vender' uma ideia

Tecnisa promove evento para receber sugestões

MARINA GAZZONI, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2012 | 02h02

Assim que a reunião começa, o cronômetro é acionado e inicia a contagem regressiva. Os fornecedores têm 20 minutos cravados para vender sua ideia a executivos da incorporadora Tecnisa. O evento, batizado de Fast Dating, é uma das iniciativas da construtora para ser mais inovadora e, ao mesmo tempo, dar uma chance para novas candidatas a fornecedoras.

No último evento, o empresário Daniel Bergoce apresentou uma maquete interativa online, desenvolvida por sua empresa, a startup PlayDreams, criada oficialmente uma semana antes da reunião. Inspirado em jogos de video game, o sistema faz maquetes virtuais do imóvel e permite que o cliente coloque móveis e até troque a cor do piso do apartamento.

"Essa foi uma das ideias que mais chamou nossa atenção nesta rodada e vamos estudá-la internamente", disse o diretor de Marketing e Ambientes Digitais da Tecnisa, Romeo Busarello.

No mesmo dia, os empresários Flavio Innocentini e Daniel Faria, da consultoria de recrutamento Valuing, ofereceram um serviço especializado na contratação de gestores para a construção civil. A Tecnisa também ouviu sugestões de novas ferramentas de marketing e de negociação com inadimplentes.

A empresa começou a realizar reuniões mensais - ou até quinzenais, dependendo da demanda - com os fornecedores há cerca de um ano. A inspiração veio de um evento similar da montadora japonesa Toyota. o Speed Dating.

"O Fast Dating é o canal para capturar inovação que mais dá resultado", diz Busarello. Entre as outras fontes de inspiração estão um site de inovação aberta, para o qual qualquer pessoa pode enviar uma sugestão, redes sociais e a própria área de pesquisa e desenvolvimento da Tecnisa. "A vantagem é que os fornecedores já vendem a solução pronta", destaca o diretor de marketing da Tecnisa.

Até o momento, cerca de 120 empresas já apresentaram suas ideias à construtora. Ao todo, 13 delas fecharam negócio e outras 53 têm suas sugestões em processo de avaliação.

A catarinense Geraflex, fabricante de geradores a etanol criada em 2011, procurava uma forma de vender o produto para grandes construtoras. A chance da empresa de fechar negócio com a Tecnisa foi no Fast Dating. "Achei o evento na internet e me inscrevi. Fiz a apresentação, eles gostaram e vamos começar a fornecer os geradores ano que vem", disse o diretor-geral da empresa, Djoni Tambosi.

Segundo ele, o gerador da marca tem um custo de manutenção 20% menor do que um modelo a diesel e ocupa um espaço menor no prédio. "Dá para colocar em um cantinho. O modelo convencional pode ocupar até duas vagas de garagem", diz.

Todos os empreendimentos lançados pela Tecnisa em 2013 terão o gerador da Geroflex.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.